preloder
Tipo: Ortopedia
RESPONSÁVEL TÉCNICO: Dr. Ruy Rocha Gusman e Dr. Alceuleir Cardoso de Souza

INTRODUÇÃO
Dentre os inúmeros materiais aloplásticos utilizados atualmente a hidroxiapatita vem ocupando lugar de destaque entre as pesquisas científicas, nas suas mais diversas formas. Apresentaremos aqui caso clínico tratado no Hospital Dório Silva na cidade de Vitória, Estado do Espirito Santo, utilizando a HAP-91, com resultado extremamente satisfatório.

HAP-91®
Utilizou-se esta hidroxiapatita sintética, disponibilizada em nosso serviço pela JHS Laboratório Químico Ltda.
De posse de material informativo produzido em 2001, a partir de teses de Doutorado e Mestrado, orientadas pelas doutoras Cleuza M.F.
Rezende e Sheyla M.C. Máximo Bicalho, pudemos observar que este material, em diversos estudos científicos, apresentou excelente biocompatibilidade. Além disso, trata-se de material osteoindutor e reabsorvível. Segundo Andrade A. L. et. al. , exames radiográficos sequenciais não evidenciaram em nenhum dos casos estudados, linha radiolúcida característica de tecido fibroso entre a hidroxiapatita e o tecido ósseo, sugerindo que a união entre HAP-91 e o osso se faz por crescimento ósseo direto.

O CASO CLÍNICO
Paciente L.M.., do sexo feminino, 36 anos, foi internada no Hospital Santa Rita para extração de um tumor de células gigantes nofêmur distal. Foi realizada a ressecção do tumor, curetagem do foco, termoterapia (com bisturi elétrico) e o preenchimento da cavidade com cimento ortopédico.

Após dois anos a paciente compareceu ao Hospital Dório Silva apresentando um quadro de dor intensa na região da antiga lesão
tumoral. Exames radiográficos revelaram, não a recidiva do tumor, mas que o cimento ortopédico havia se soltado do local.
Após extensa discussão do caso em reuniões clínicas, onde aventou-se a possibilidade da introdução no local (por sinal muito
extenso) de enxerto ósseo alopático, optou-se pelo implante do material aloplástico, no caso a hidroxiapatita HAP-91, disponível para uso no serviço, e sua inserção seria feita por técnica cirúrgica extremamente conservadora.
Foi realizada a cirurgia com a colocação de osso sintético em cubo associado ao osso sintético em pó.

CONCLUSÕES
Neste caso observou-se uma boa integração da hidroxiapatita HAP-91, o que pode ser demostrado nas radiográfias (fig. 1 e 2 ). A paciente possui um deficit funcional do joelho ( Flexão 60o ), devido às multiplas cirúrgias a que foi submetida.

Galeria de Fotos